Centro de Portugal – Picoto da Milriça, por Eduardo Lyon de Castro

Centro de Portugal – Picoto da Milriça, por Eduardo Lyon de Castro

CENTRO DE PORTUGAL

. PICOTO DA MILRIÇA

O local que assinala o Centro de Portugal, vai finalmente apresentar uma imagem condizente com a sua importância. Após uma longa espera, foi finalmente decidido criar um acesso que vai proporcionar a quantos visitem este icónico local do concelho de Vila de Rei melhores condições de circulação e de estacionam ao mesmo tempo que diversos apoios ao visitante também apresentarão significativos melhoramentos.

Do alto dos seus 600 metros é possível visionar vários horizontes a 360 º em que se salienta a Serra da Estrela, esta a mais de 100 Kms.

Com a inauguração dos melhoramentos previstos para muito em breve, bom será que Vila de Rei aproveite totalmente todo o seu potencial turístico, tanto mais que se prevêem outras obras que indiciam uma preocupação com este sector, pois as possibilidades são imensas com válidos reflexos na economia local.

À boleia das novas acessibilidades ao Picoto da Milriça é legitimo esperar um incremento substancial de visitas o que impulsionará um conjunto de iniciativas, nomeadamente de carácter desportivo animando o local de forma regular através de um eclético programa de actividades

Para já aqui ficam algumas sugestões:

1º – Ascensão ao Picoto a partir do parque de Campismo do Bostelim (prática de 2 ou 3 modalidades a concretizar através de um evento anual com a participação de centenas de atletas.

2º – Deslocar preferencialmente para este local todas as manifestações motorizadas nomeadamente passeios turísticos TT, concentrações de marcas, reuniões de clubes etc. que se realizem no concelho.

3º – Aproveitar a totalidade da Serra da Milriça para criar uma rede de percursos de apoio a eventos de natureza pedestre ou BTT. Será possível haver mais de 50 Kms de caminhos para estas actividades.

Estas sugestões exigem uma política de promoção que exalte as possibilidades existentes tornando-as conhecidas para além do espaço regional e com ambição nacional e mesmo internacional a médio prazo.

Obviamente terão de ser consideradas várias questões como a existência de estruturas sanitárias e outras como sinaléticas, estruturas de animação de espaços, textos e mapas sobre esta fantástica zona de lazer, que criem expectativas, curiosidades e vontade de a conhecer.

É muito ambicioso.

Pois é.

Mas este é um bom momento para se começar a pensar um “bocadinhoMAIS EM GRANDE.

 

  • Eduardo Lyon de Castro, Colaborador do Jornal de Vila de Rei

    Rigorosamente o Centro

Share