EDITORIAL – Princesa Dona Maria Pia de Bragança celebraria amanhã 110 anos

EDITORIAL – Princesa Dona Maria Pia de Bragança celebraria amanhã 110 anos

EDITORIAL

Princesa Dona Maria Pia de Bragança celebraria amanhã 110 anos

Filha de El -Rey Dom Carlos, nascida a 13 de Março de 1907, reconhecida pelo Tribunal da Rota de Roma ( o único capacitado para Julgar em Monarquia), educada por Dom Alfonso XIII de Espanha a pedido de Dom Carlos, a Infanta foi a última a falecer, deixando vacante o trono de Portugal.

Vários problemas a afastaram da possível liderança de uma Monarquia a reinstalar.

Desde logo ser Mulher ( o machismo em Portugal foi sempre muito forte), depois “bastarda”, ou seja, filha apenas do Rei, que a reconheceu oficialmente como Filha.

Depois a sua própria vida, obrigada a trabalhar para sobreviver como escritora e articulista, a vida mundana como consequência, o fascismo em Portugal, a queda de Dom Alfonso XIII em Espanha, impossibilitaram a luta em Portugal.

O povo, faminto como sempre, sem notícias apropriadas que a censura bloqueava, escamoteado da verdade histórica, foi-se dedicando a outras matérias, ignorando o que realmente importava.

A Monarquia em Portugal perdeu-se em minha opinião quando Dom Pedro IV de Portugal, I do Brasil, poupou seu irmão Dom Miguel após a guerra que travaram, deixando-o sair com vida de Portugal e com a criação da Lei do Banimento.

Isto nunca deveria ter acontecido, pois D. Miguel podia ser punido em Portugal, com a prisão por exemplo e, sem essa Lei, Salazar nunca teria podido permitir o regresso a Portugal, em condições humilhantes é certo, e teria sido evitada toda a confusão posterior e a promoção ilegal de uma Família já sem pergaminhos adequados.

Assim, esta família regressou, submeteu-se às diatribes do fascismo, deixou de lutar pela Causa e passou a viver de expedientes e festas enganadoras.

Esta é uma enorme diferença para Dom Rosário que nunca abdicou de lutar e a esta luta dedicou toda a vida.

Dona Maria Pia lutou como pôde.

Teve vários advogados, mas o dinheiro não abundava.

Se Humberto Delgado tem sobrevivido à Pide, a história seria certamente outra, seria conhecida e não escamoteada.

Hoje, as três Linhas Dinásticas que se “combatem” são apenas conhecidas nas revistas côr de rosa para vender papel (caso de D. Duarte Pio) que convive com a República, a Linha de D. Pedro Folque 6º Duque de Loulé, um Homem também bom mas inactivo e a de Dom Rosário, que nunca cedeu aos interesses da República que várias ciladas lhe criou em consequência.

Porquê a ligação de Dona Maria Pia a Dom Rosário?

Rosário de Poidimani, nascido em 25 de Agosto de 1941, é um Nobre descendente de Combaldo de Podio, Barão de Cugno e Governador do Castelo de Siracusa, portanto italiano o que não impede a sua ascensão a Rei, mas limita seguramente.

Assim, é seguro dizer que Dona Maria Pia recorreu a Dom Rosário um Nobre como aliado, vindo a designar o mesmo seu herdeiro pelo “Acto Sobenano nº 5”, em 1987, numa cerimónia transmitida semanas depois pela televisão portuguesa.

Portanto, Dom Rosário não se tornou Nobre nesta altura, já o era antes, nota que nunca se vê escrita quando a ele se referem.

Presto nesta data homenagem a Dona Maria Pia, como lutadora pela CAUSA, merecedora de ser mencionada pela História de Portugal na sua verdadeira qualidade. Princesa de Portugal.

Dona Maria Pia na sua casa de Lisboa

 

Dona Maria Pia de Bragança

 

Share