Em busca da origem do Universo, por Joaquim Vitorino

Em busca da origem do Universo, por Joaquim Vitorino

Em busca da origem do Universo

O Observatório Astronómico Europeu do Sul, está próximo de concluir um dos mais ambiciosos projetos de todos tempos no campo da Astronomia e Astrofísica, envolvendo também áreas da Biologia, vida no Cosmos e Inteligência Extraterrestre.

Quando este colosso dos céus estiver ao serviço da ciência, o E-E L T (European Extremely Large Telescope) será o maior instrumento científico construído até hoje, e constituirá um dos grandes momentos da investigação ao dispor da Humanidade; que numa ânsia pelo conhecimento, nunca antes levou o Homem tão longe na busca das suas origens, e de outras  eventuais civilizações que ao longo de milhares de milhões de anos, se desenvolveram e extinguiram na nossa Galáxia e no Universo.

Se é que existiram, e é muito possível que sim; o seu desenvolvimento tecnológico, talvez não fosse suficiente em tempo, para evitar a sua possível extinção.

Outras (hipotéticas civilizações) que florescerem em simultâneo na proximidade dos seus sistemas solares, teriam provavelmente se envolvido em disputa por planetas colonizáveis; e também para obtenção de recursos se considerarmos, que o seu nível tecnológico teria sido baseado nos mesmos meios energéticos que nós humanos utilizamos para chegar ao desenvolvimento atual.

O nosso Planeta, onde a população já ultrapassou os 7.500 milhões de Humanos terá um futuro muito semelhante.

A mais que provável situação de grande carência alimentar e energética no futuro, leva-nos  a mudar quase radicalmente os nossos meios de sobrevivência, até estarmos preparados para darmos o salto para Marte, que apenas nos servirá de entreposto para o caminho das estrelas mais próximas, na tentativa de salvaguardar a nossa espécie.

A colonização de Marte há muito defendida pelo segundo Humano a pisar o solo Lunar, o ex-Astronauta Buzz Aldrin é um exemplo a considerar.

A existência de água no subsolo e nas calotes do Planeta vermelho, deixa-nos uma débil esperança de sobrevivência; mas temos que enfrentar uma grande adversidade que é tempo; é que, ainda estamos muito longe de nos podermos lançar numa grande epopeia interplanetária, que num futuro mais longo nos levará para além do nosso sistema Solar.

O E-ELT que será o maior Telescópio refletor existente em parceria com o (SKA Square Kilometer Array) o mais potente radiotelescópio que entrará em funções brevemente, vai ajudar o Homem a protagonizar a maior peregrinação dos humanos em busca de um local, onde possamos colocar a espécie humana a salvo; que poderá ser a única inteligente numa periferia de 15.000 Anos Luz, que é (1/6 do diâmetro da nossa Galáxia a Via Látea), onde a  probabilidade será de um para 10 mil milhões o que é o mesmo que dizer, que estamos completamente sós.

O Século XXI vai ser decisivo, para que os humanos tomem medidas drásticas a nível do ambiente e também demográfico; e o E-ELT com as suas preciosas informações, irá levar-nos até acontecimentos cósmicos com pelo menos 13.77 mil milhões de anos, que é a idade que nós Astrónomos e Astrofísicos, pensam ser a do BIG BANG.

O E-ELT  vai “ver” os primeiros momentos do nascimento da matéria, formação de Estrelas e Planetas, e quais foram os meios que propiciaram a vida, que posteriormente deu lugar à inteligência.

O que existia antes do Big Bang, talvez nunca chegue ao nosso conhecimento; mas vamos saber se estamos perante um ciclo de contração ou expansão, e como teria sido o início de tudo.

Neste caso, colocar-nos-ia alguns considerandos e interrogações que a ciência ainda não consegue explicar; quem terá acionado o “detonador” que deu origem ao Big Bang?, se este terá sido o primeiro, ou se teriam anteriormente existido vários: e qual terá sido a origem das origens.

O E-ELT e o SKA é dos mais arrojados investimentos de todos os tempos, na investigação da Astronomia e Astrofísica, em busca da vida e inteligência extraterrestre.

Portugal é um dos países associados ao projeto, embora com uma modesta participação, veio dar um grande estímulo e orgulho à nossa comunidade científica; não podemos esquecer-nos, que fomos pioneiros em muitos dos grandes feitos que configuram a atual civilização no nosso Planeta, que ainda preserva uma forte influência da Europa, com uma grande componente que na era quinhentista os navegadores portugueses transportaram nas suas Naus.

O E-ELT que se será o maior telescópio ótico do Mundo, está a ser construído no topo de uma montanha, a 3.000 metros de altitude no deserto do Atacama no Chile.

O poder de observação do E – ELT, terá 15 vezes a capacidade do maior telescópio já existente; só o espelho central custará 1.200 milhões de euros e terá 39 metros de diâmetro,  colocado num suporte com aproximadamente 90 metros de altura.

As imagens que nos vai proporcionar, muitas delas restritas à comunidade científica, vão ser fundamentais na busca da origem do Universo, e na sobrevivência da nossa espécie; e ainda dar-nos a saber, qual o papel que nós humanos representamos no complicado puzzle em que a matéria cósmica deu lugar à vida e à inteligência.

O E- ELT custará aos contribuintes Europeus cerca de 5.000 milhões de euros, e em 2023/24 começará a transmitir o que há muito tempo, os cientistas aguardam saber; e que provavelmente, vai mudar todo o conceito que o homem  tem sobre o Universo.

OBS: A Carl Sagan 1934 – 1996, o Astrónomo e Astrofísico que no século XX mais escreveu sobre o tema; 20 livros e mais de 500 publicações.

(Prémio Pulitzer em 1978 pelo seu livro Dragões do Éden).

 

J. Vitorino  –  Astrónomo Amador – Diretor

Share